quarta-feira, 11 de junho de 2008

A lealdade do amor Divino

A teologia geralmente tratou Deus de uma forma fria e cauculista, sua visão de Deus era um Deus grande e intocável. No conceito da imutabilidade de Deus, distanciou-o de nossas emoções, porque elas representavam fraqueza e instabilidade. Como poderia ser Deus instável? Deus não se arrepende, portanto não pode haver nele nenhuma dessas fraquezas ligadas a emoção humana.
Parece ser estranho que aqueles que defendem essa teologia tradicional dizem que esses conceitos de Deus são retirados da Palavra Dele, mas no texto Bíblico eu vejo um Deus diferente. O Deus Bíblico é tocado pelas emoções humanas, sua paixão é demonstrada como um que sente-se traído pelo objeto de seu amor, Ele se envergonha da prostituição de sua amada, fica irado e na Sua ira julga as ações daqueles que negam a fidelidade Dele. A história de Israel é uma descrição dessa relação erótica, sempre descrito como uma descrição do amor de um homem e uma mulher, do marido e da esposa, do noivo e da noiva. E nessas descrições encontra-se sim muitas "emoções" de Deus. Yavé é um Deus emotivo, que não é insensível nem a devoção humana e nem aos seus sentimentos profundos por esse ser a quem Ele ama.
No Salmo 147 tem um texto muito bonito, de que Ele se agrada daqueles que colocam sua confiança no seus amor leal. Ele se agrada...bem diferente daquele Deus distante "imutável" e "grande". Meus Deus é sim imutável, imutável no seu amor apaixonado por suas criaturas, grande na sua tentativa de agarrar aqueles a quem Ele ama.

Nenhum comentário: